Apresentação

Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo

A excelência conquistada pela Unicamp na formação de recursos humanos no setor de petróleo é atestada especialmente em cursos de pós-graduação. Estudantes e professores do curso de pós-graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo (CEP) são responsáveis por importantes avanços científicos e tecnológicos na exploração e produção de petróleo, contribuindo para o desenvolvimento da industria e da pesquisa brasileira nesse setor. 

De caráter interdisciplinar, com gestão inter-unidade através da Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM) e do Instituto de Geociências(IG), o CEP engloba conhecimentos de engenharia e de geologia do petróleo, em duas áreas de concentração, combinando diferentes linhas de pesquisa :

     Reservatórios e Gestão:

  • Engenharia de Reservatórios.
  • Geoengenharia de Reservatórios.
  • Geofísica de Reservatórios.

     Explotação:

  • Engenharia de Poço.
  • Produção de Óleo e Gás.
  • Sistemas Marítimos de Petróleo e Risers.

O programa prevê duração mínima de 12 meses e máxima de 24 meses para o mestrado, e mínima de 24 meses e máxima de 48 meses para o doutorado.

O pós graduado no CEP tem o privilégio de pertencer a uma área ávida por recursos humanos de alta qualificação. Em decorrência de sua elevada qualificação, a maior parte dos alunos formados é absorvida pela indústria de petróleo, mesmo aqueles que inicialmente não possuíam vínculos com atividades de petróleo.

 

‣ Cursos de Mestrado e Doutorado

A Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo resulta da integração da Engenharia de Petróleo e Geo-Engenharia de Reservatórios, contemplando as atividades de Geologia e Geofísica de Reservatórios, Engenharia de Reservatórios, Engenharia de Poços (Perfuração e Completação), Produção de Óleo e Gás (Sistemas Marítimos e Terrestres), Gestão de Campos Petrolíferos.

Originalmente, a Engenharia de Petróleo foi iniciada em 1987, e a Geoengenharia de Reservatóros em 1990; a reunião destes cursos ocorreu em 2001 sob o novo programa CEP, credenciado pela CAPES. Ambos os cursos foram criados com o apoio da Petrobras. O curso conta também com o apoio do Centro de Estudos de Petróleo - CEPETRO da Unicamp nas suas diversas atividades. As áreas de concentração são: AA- Explotação, AB- Reservatórios e Gestão.

Veja também o regulamento do Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Petróleo.

 

‣ Missão

O CEP busca oferecer uma forte base científica visando formar mestres e doutores que atuem de forma crítica e inovadora na indústria de petróleo. Os doutores formados pelo CEP são também aptos a elaborar e coordenar pesquisas na indústria ou em instituições de ensino e pesquisa, para desenvolver metodologias, processos e tecnologias voltadas à exploração e produção de petróleo.

A forte ligação com a indústria é visível nas dissertações e teses desenvolvidas no CEP. Muitas delas são respostas e soluções a importantes questões enfrentadas pelo setor produtivo.

 

‣ A Proposta

A proposta do curso é interdisciplinar, com um núcleo ativo de docentes para a criação, disseminação e intercâmbio do conhecimento científico e tecnológico na atividade de Exploração e Produção de Petróleo.

 

‣ Articulação

Mantém-se um corpo docente fixo e dedicado exclusivamente a esta atividade, e promove-se a participação de outros docentes sob demanda.

 

‣ Conceitos de Avaliação

A avaliação em cada atividade de Pós-Graduação será expressa pelos seguintes conceitos:

 

A - Excelente (peso 4) aprovado

B - Bom (peso 3) aprovado

C - Regular (peso2) aprovado

D - Insuficiente (peso 1) reprovado

E - Abandono (peso 0) reprovado por freqüência

S - Suficiente - quando a uma atividade de Pós-Graduação não for possível atribuir um dos três conceitos quantitativos de aprovação (A, B ou C). Neste caso embora os créditos sejam considerados, a atividade não será incluída no cômputo do coeficiente de rendimento. Este conceito é geralmente adequado aos cursos de Estudos Especiais e disciplinas de programas interdisciplinares.

 

‣ Perfil dos Estudantes

Além dos graduados da Unicamp, o Programa conta com ingressantes de diferentes regiões do País em busca de uma melhor qualificação para capacitar e alavancar melhores posições no mercado de trabalho em petróleo.

Quase todos os egressos atuam na área de petróleo. Os resultados de muitas de suas teses passaram a fazer parte do know-how da indústria e da comunidade científica, e em alguns casos já se constata a implementação prática destes trabalhos. Mantém-se constantemente o processo de ligação entre a pesquisa e a aplicação.

No curso, os alunos recebem uma formação básica comum em ciências e engenharia de petróleo, seguida de uma complementação correspondente à área de petróleo escolhida. Destaca-se no curso a participação de alunos vinculados à Petrobrás. Tradicionalmente, os candidatos estrangeiros originam-se de países sul-americanos. Os formandos estão, quase todos, atuando na indústria em áreas relacionadas ao curso, mesmo aqueles que inicialmente não tinham vínculos com atividades de petróleo.

 

‣ Disponibilidade de Recusos e Fontes de Financiamento

As fontes de financiamento do curso são provenientes da CAPES/PROAP, envolvendo bolsas de mestrado e doutorado e recursos para compra de material de consumo, auxílio para participação em congressos e publicações. Recursos do CNPq correspondem a bolsas de mestrado e doutorado, a esses somam-se recursos de bolsa e taxa de bancada do PRH/ANP, recursos concedidos pela FAPESP, CNPq/CTPetro, Finep/CTPetro e Petrobras para o desenvolvimento de projetos de pesquisas obtidos diretamente pelo orientador e, finalmente apoio fundamental do CEPETRO-UNICAMP nas mais variadas formas de auxílio.

 

‣ A Universidade e a Cidade

A Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, criada pela Lei Estadual nº 7655, de 28/12/1962, com sede e foro na cidade de Campinas, Estado de São Paulo, é uma Entidade Autárquica Estadual de regime especial, na forma do Artigo 4º, da Lei Federal nº 5540, de 28/11/1968, com autonomia didático científica, administrativa, financeira e disciplinar.

Apesar de criada em 1962, a implantação efetiva só foi realizada após a publicação do Decreto nº 45220, de 9 de setembro de 1965.

Em 2003 a UNICAMP contava com 15001 alunos de graduação e 14740 alunos de pós-graduação. A maioria dos graduandos vem do Estado de São Paulo, já na pós-graduação, a grande maioria procede dos demais estados brasileiros. A área do campus atinge quase três milhões de metros quadrados.

Português, Brasil